quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Papo Livresco: Sobre as parcerias

Acompanho vários canais no YouTube e poucos blogs de literatura, algo muito recente para falar a verdade, mas que a certo ponto, se tornou bastante cansativo, e aí as parcerias entram como principal culpada. Neste post vou explicar como elas acabam prejudicando muito esses 'formadores de opinião'.

Apesar de sermos um país com pouca leitura, qualquer tipo de incentivo é válido, produtores de conteúdo que promovem a leitura são bem vindos, e muitas editoras conseguiram enxergar o lado comercial nisso de uma forma não tão legal, por exemplo, não é fácil comprar vários livros todo mês, correto? A editora enviar livros para seus parceiros é importante, visto que isso permite que eles possam avaliar os lançamentos. E aí encontramos o problema.

Editoras, parceiros, lançamentos, kits de release. Essa é uma receita de vários canais e blogs, muitos dos 'formadores de opinião' baseiam seus conteúdos apenas nisso, muito esporadicamente vejo alguém comentar que comprou um livro, ou que gostaria de ler um livro, na verdade vejo muitos dizendo que estão dando pausas nas compras de livros por motivos de não poderem gastar tanto em livros e terem muitas coisas para ler, aí eu fico com várias interrogações na cabeça, pois dificilmente vejo algum deles comentando a compra de um livro, e quando o faz, é por quê estava em promoção e por isso comprou alguns livros, número que não chega nem perto aos que foram enviados por editoras e são mostrados em seus book hauls.

Estaria eu com inveja? Sim, talvez. Quem não gostaria de receber livros de graça? Mas a questão é que como um inscrito de vários canais, cheguei a um ponto de ver todos os vídeos de resenha, lidos ou de book haul apresentar os mesmos livros das mesmas editoras, e tudo isso de forma rasa, algo como: "vejam que capa maravilhosa", "amei esse brinde", "que marcador lindo". Leitura desses livros?? ¯\_(ツ)_/¯

E percebo que muitos dos livros não fazem nem o estilo da pessoa, fazendo com que esses livros fiquem para sorteio ou parados no cantinho de castigo.

Lógico que existe aqueles que sabem usar sua influência, já vi muitos booktubers que acabaram parcerias por simplesmente as editoras não mandarem nada que interessa a eles, outros que limitavam a receber coisas que realmente interessavam ou que a editora permitia solicitar o que quisessem, aos poucos estou parando de seguir alguns canais por essas razões, literatura vai muito além de young adult, romance e coisas que estão em voga.

Caso você esteja procurando por formadores de opinião que realmente querem falar sobre a literatura num contexto fora do que vemos hoje em dia, recomendo dois canais não influenciados por parcerias: o Tiny Little Things da Tatiana Feltrin, que apesar do nome, é brasileiro; recomendo também o canal da Patrícia Pirota.

sábado, 10 de outubro de 2015

Minhas Tardes Com Margueritte (La tête en friche, 2010)

Para mim foi um dos filmes mais fofos dos últimos tempos, e pra aumentar a fofura da história, há LIVROS!!!

Na história encontramos o personagem Germain (Depardieu) que é um homem de talvez quarenta anos, com pouca leitura e vivendo uma vida sem esperanças no que se refere em ter uma família feliz, visto que sua mãe aparentemente não gosta dele e que não faz ideia de quem seja o homem que talvez seja o pai do seu filho.

Talvez eu tenha esquecido de falar, mas o filme é francês, não sei se alguém além de mim sempre assiste a filmes estrangeiros com um pé atrás e depois acaba gostando demais do enredo.

Eis que em uma tarde, Germain encontra uma senhora que está lendo no parque, esta senhora chamada Margueritte (Casadesus) o apresenta aos livros, lógico que com um certo medo e reprovação, ele vai entrando nessa amizade entre a senhora e os livros.

O resultado disso é o que acontece com qualquer leitor, Germain começa a ver um mundo diferente, as pessoas estranham, ele não gosta da mudança e pensa em desistir, lógico que Margueritte tentará ajudá-lo.

O filme não se baseia só nisso, é interessante, visto que ele pode atingir os amantes da literatura, mas o que o torna mais interessante e emocionante é toda essa questão de relacionamentos, família e amizades, no geral, como é complicado viver.

Assistido: na Netflix

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Assassinato na Casa do Pastor - Agatha Christie

Já vou logo falando que novamente fui enganado pela Agatha, ok? Ok!

O que falar da Miss Marple que mau conhecia, e já considero pra caramba?

Ao contrário de Sherlock Holmes, ou até mesmo de Poirot, pelo menos nessa estória entramos num mundo diferente de investigação, a fofoca. Para quem não sabe, Miss Marple é uma senhorinha que vive numa pequena cidade, e em seu tempo (bastante) livre, vive cuidando de seu jardim e cuidando da vida dos outros.

Nesta estória, podemos ver o caso por diversas perspectivas, todas elas narradas por diversas senhoras que viram fatos diferente acontecerem, por isso que a coisa se torna interessante, não é nada certo, e só temos as palavras de senhoras que vivem fofocando sobre a vida de todos, ou seja, em quem devemos acreditar?

E claro, muito mistério, muitos suspeitos vão aparecer. Já não bastasse o mistério do assassino, descobrimos muitos mais mistérios, muitas reviravoltas como a Agatha ama fazer em seus romances.

Nota: 5 estrelas

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

TBR Outubro/2015

Como falei no último lidos do mês, meu tempo foi bem corrido, o que me tirou do ritmo de leitura, por isso minha meta do mês será concluir leituras atuais, torcendo para que eu consiga ultrapassá-las.


  • Finalizar volume 1 de Dom Quixote;
  • Finalizar Colega de Quarto.
Ainda gostaria de conseguir ler mais alguns contos de Memórias de Sherlock Holmes e de 12 Doutores, 12 Histórias, estou bem atrasado na leitura de ambos, mas se o tempo permitir com certeza farei isso.

Muito em breve, estarei voltando a postar resenhas por aqui. :)

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Lidos em Agosto-Setembro/2015

Meses complicados para mim, onde minha pesquisa do TCC começou a ser realizada e ao mesmo tempo já estava escrevendo o artigo final, teve dia de ficar escrevendo oito horas seguidas. Por isso, vergonha da pouca leitura.

Agosto:
  • Terminei Toda Luz Que Não Podemos Ver;
  • Continuei o volume 1 de Dom Quixote;
  • Li um conto de Memórias de Sherlock Holmes.
Setembro:
  • Iniciado Colega de Quarto;
  • Continuei o volume 1 de Dom Quixote.
Nesses meses não consegui ler nenhum conto de 12 Doutores, 12 Histórias. E uma coisa não tão legal, como já suspeitava, após a consulta com o oftalmologista estou usando óculos, basicamente apenas para leitura e muito pouco grau em um olho. Por causa da correria na pesquisa e escrita do artigo final, não tive paciência de intercalar leituras no tempo livre, resolvi focar quase todo meu tempo no trabalho, então, aos poucos vou retornando ao ritmo.