sexta-feira, 14 de novembro de 2014

A verdade sobre o caso Harry Quebert - Joël Dicker


Uma das coisas que influenciam na escolha dos livros que vou ler é a popularidade do mesmo e a falta de popularidade. 'A verdade sobre o caso Harry Quebert' se encaixa na primeira opção, todo o barulho que se estava fazendo sobre o livro, da estória e tudo, mas também tinha o lado negativo, havia gente comentando que era leitura para banheiro, o que sinceramente achei desnecessário.


Deixei de lado as críticas negativas e experimentei o que parecia ser um bom livro de mais de 500 páginas..

..e na verdade Dicker não é um grande escritor de mistérios ou thriller! Como leitor, posso dizer que as características dos personagens foram bem desenvolvidas no decorrer da estória, e sim, realmente a estória as vezes se torna enfadonha, justamente pelo excesso de detalhes, mas nada que me fez querer soltar o livro, na verdade, cada capítulo me fazia querer conhecer mais e saber o que iria acontecer.

Falando em capítulos, houve um clichê de querer enfiar vários ensinamentos/ideias no começo de cada capítulo, foi interessante, mas será que seria necessário fazer isso a cada novo capítulo?

Sobre tudo o que se fala, e o que falei, Dicker não é um grande escritor, mas é um escritor que podemos apostar em bons textos nos próximos anos.

Recomendo a leitura para quem quiser uma boa investigação, e por investigação, entenda reviravoltas e mistérios sendo descobertos numa pequena cidade dos Estados Unidos.

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

O Jovem Sherlock Holmes: Parasita Vermelho - Andrew Lane


Grande evolução do personagem Sherlock desde o primeiro livro, finalmente ele começa a utilizar as deduções de forma mais real. O personagem está mais inteligente, e começa a desenvolver outras habilidades que mostrará nos livros do Conan Doyle. Aqui a aventura é tensa e muito divertida. :)


Gostei muito que o Andrew utilizou muitas referências histórias reais.

E sobre desenvolver habilidades, digo em várias mesmo, não posso citar algumas por que se não vai ser um baita de spoiler para vários acontecimentos, mas como falei, a leitura desse volume vai ser bastante diferente do jovem Sherlock de Nuvem da Morte.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Querido John - Nicholas Sparks

"Sem preconceito!" É o que pensei do momento que comprei e do que comecei a ler Querido John, até então não tinha lido nenhum romance do tipo, e Nicholas Sparks realmente sabe criar uma estória.

Antes de comentar a estória em si, gostaria de falar um pouco sobre como me senti diversas vezes inserido em alguns cenários que eram citados no livro. Ver uma praia, um local chuvoso, o campo, ou até o interior de um restaurante pode ser fácil, mas o senhor Sparks fez que eu visse com mais facilidade, talvez a forma de ele descrever não seja tão chata.

Longe de poder ter autoridade de falar de clichês de romances, mas realmente não me senti desconfortável lendo Querido John (às vezes eu escondia a capa, mas, quem nunca?), como já falei, a fluidez da escrita e do decorrer da estória, permitiam que vários parágrafos fossem gastos com descrições de cenas, cenários ou até mesmo dos personagens sem serem chatos e monótonos.

E sim, eu admito, realmente fiquei torcendo pelos dois do começo ao fim, mas como poderia torcer contra? A estória deles é incrível, ambos se transformaram muito durante todo o livro, parecia que cada vez mais o destino queria separá-los. Descrever os personagens pode ser até um pouco de spoiler, mas eu gostei muito do carinho que a Savannah tem por todos, sabe, é aquele tipo de pessoa que se importa com todos, e fazer os outros um pouquinho feliz a faz ficar feliz também.

Para aqueles que querem começar a leitura de um romance, talvez seja interessante começar por esse livro, como falei, não tenho muita autoridade para falar de romances, mas o nível de clichê não é tão grande, então, talvez você possa abandonar um pouco o preconceito e começar a ler Nicholas Sparks, e sim, assim que tiver oportunidade, estarei lendo outro livro do autor.

Sem spoilers, mas realmente não entendi o final, quero continuação ou algo do tipo (entendedores entenderão).

Uma dica, não pesquise muito sobre o livro antes de lê-lo, lembre-se que o John é do exército, ele se comunica muito por cartas e o "Querido John" (Dear John) pode ser algo mais do que o início de uma carta.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O Jovem Sherlock Holmes: Nuvem da Morte - Andrew Lane

Fiquei com um pé atrás quando vi que existia uma série de livros que falava de um jovem Sherlock Holmes, e que ainda por cima não tinha sido escrito por Conan Doyle, como faz pra descobrir se é bom? Lemos.

Quando iniciei a leitura, um certo preconceito brotou, mas foi sumindo a medida que as referências a um passado que realmente poderia ter sido vivido pelo personagem foram surgindo, não vemos um adolescente chato, ou um Sherlock Holmes metido a esperto, vemos uma criança que entrou na adolescência, que está longe da família e se sente inseguro, e que está começando a desenvolver suas habilidades.


Sobre os personagens, existem vários parentes do cânon que são citados na estória, e também outros que não conhecia, ou que pelo menos não tenho certeza de serem originais de Doyle, mas que são importantes e essenciais para o bom desenvolvimento da estória.


As coisas começam a ficar melhores cada vez mais quando o personagem vai se desenvolvendo e o autor vai ampliando seu campo de narração, Andrew Lane usa e abusa das possibilidades que a Inglaterra pode dar para uma aventura, sejam embarcações ou o que o subterrâneo tem de mais assustador, ele vai citar detalhes que vão fazer que o livro realmente vire um filme na sua cabeça.

Para quem gosta do personagem, indico a leitura, talvez Conan Doyle não teria desenvolvido o passado de Sherlock Holmes desse jeito, mas é uma boa versão do que poderia ter sido escrito, tudo se liga corretamente com a época, com o que é realmente oficial aos escritos do criador do detetive mais famoso da literatura.

Quero ler a continuação que já está na espera, quero a coleção toda, quero algo tão bem desenvolvido quanto este livro. Nota 10!

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Um Gato Entre Os Pombos - Agatha Christie


Não tenho como começar a falar sobre um livro da Agatha Christie sem falar como ela arrasa na escrita e como o enredo te envolve, pois é, já falei.


Dessa vez temos espionagem, assassinatos e mistério internacional dentro de uma escola para meninas bastante conceituada na Inglaterra, tudo isso além da indecisão da diretora que está pensando seriamente em se aposentar, mas se caso faça isso, quem será a melhor escolha para comandar a escola?

Este livro conta com um pouco menos de Poirot em comparação ao Morte nas Nuvens, mas o detetive belga vai ser bastante esperto na hora necessária.

Não posso negar que talvez o assassino seja um pouco evidente, que a estória fique cambaleando para o clichê, mas Agatha Christie consegue nos colocar dentro da estoria e ver o universo do mistério tão nítido, por isso recomendo o livro para quem gosta de mistério, problemas internacionais e coisas do tipo.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Eu me chamo Antônio - Pedro Gabriel

Talvez eu tenha sido um pouco relutante quanto a ler este livro, pois passei um bom tempo ouvindo falar (na verdade acompanhando na internet) da página do facebook que postava fotos de guardanapos rabiscados, mas foi depois de eu ter conhecido a história do Pedro Gabriel e lido algumas das "obras" dele, que a vontade de ler o livro começou a surgir.

Para quem já conhece a página, o livro não foge muito da mesma linha, fotos de paisagens, rabiscos e desenhos, no final uma frase legal sobre várias situações da vida, por isso o livro é dividido em alguns "capítulos". Na internet eu sempre apelo para as legendas que acompanham as fotos, pois muitas vezes parece que ele está muito animado na hora e a caligrafia ou como ele desenha certas palavras fica mais difícil de compreender a frase, no livro é a mesma coisa, mas para o meu alívio colocaram uma lista com as frases transcritas e enumeradas, para caso haja aquela necessidade de consultar algo que não está tão bem legível.

A leitura pode ser rápida, e para mim realmente foi, intercalei ele com outros livros, dava uma pausa e lia algumas páginas, depois voltava para o outro livro, talvez tenha terminado ele em dois dias. Até penso em refazer a leitura de forma dinâmica, ou seja, ler uma frase ou outra fora de ordem e sem pressa, pois realmente são frases lindas e que não precisam ser lidas em ordem e rapidamente para serem compreendidas.

Talvez você tenha certo preconceito como eu tive, pagar mais de 20 reais num livro de 192 páginas cheio de rabiscos? Vale muito a pena! O livro é lindo, o material utilizado é lindo, e.. vá comprar esse livro de uma vez, LOGO!

Ainda espero que nos futuros projetos do Pedro Gabriel esteja desenvolver uma estória para o personagem Antônio.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Os Pinguins do Sr. Popper - Richard e Florence Atwater

O Sr. Popper é um pintor e durante o inverno fica trancafiado dentro de casa lendo sobre os pólos, os animais que o habitam e tudo mais, ele já faz isso durante o ano todo, mas aproveita essas "férias" para aumentar mais ainda seus conhecimentos.


A estória se passa numa cidade do interior dos Estados Unidos a muitos anos atrás, acreditem, o Sr. Popper chegou a escutar seu nome sendo falado nas transmissões de uma expedição via ondas curtas, nessa transmissão o Almirante diz que o Sr. Popper irá receber um presente.


E desse presente é que começa a aventura, várias cenas hilárias ocorrem durante o livro mostrando ele e seus pinguins.

Certos acontecimentos são inacreditáveis, tipo transformar a sua geladeira em uma casa de pinguim? Passar meses sem trabalhar? Mas é apenas um livro infantil, ou seja, não espere um enredo bem desenvolvido, espere estórias simples, fácil de entender e divertidas, ele possui gravuras e a estória é bem curtinha, apenas 144 páginas, a leitura é rápida e gostosa, dá para ler em um dia.

segunda-feira, 28 de julho de 2014

#maratonaliterária 3.0 - FIM @maratonalit

Os últimos dias da maratona foram uma negação, principalmente por que meio que me afastei dos livros, pelas minhas contas teve dia que não cheguei nem a ler 10 páginas.

Mas de qualquer forma terminei a maratona com um total de 474 páginas lidas, sendo um livro completo e outras 106 páginas de um segundo livro.

#fail

Mesmo assim me diverti bastante, principalmente por que nos momentos que não estava lendo, estava aproveitando as férias. :-)

sexta-feira, 25 de julho de 2014

#maratonaliterária 3.0 - Dia 4 @maratonalit

Apenas 7 páginas de Praticante Inofensiva, como assim? Vergonha, vergonha..

Minha Breve História - Stephen Hawking


Stephen Hawking é um dos físicos mais famosos do mundo, e esse livro curtinho foi escrito por ele para contar cada detalhe de sua vida.


Minha Breve História é realmente uma autobiografia, para quem não sabe, Hawking tem uma doença chamada ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica), o que o faz ser quase dependente de máquinas para, por exemplo, poder falar. Durante o livro você passa por diversos capítulos da vida dele, desde a infância até os dias atuais. Mesmo sendo uma autobiografia, e sua doença faça parte da sua vida, ele não comenta muito sobre o problema, mas só quando ela vai avançando ele fala de certas dificuldades em cada época, mas não expõe o que pensa sobre isso.

O livro é recheado com várias fotos da vida de Stephen, o que torna a leitura mais agradável, afinal de contas, você acha que só ficar lendo sobre física, física, física seja interessante sem nenhuma foto para ilustrar por exemplo, um acordo feito entre ele e um colega de trabalho apostando numa teoria? Ou até mesmo ele ser membro de uma equipe de remo?

E sim, física, física, física, o cara não se cansa de explicar sobre algumas teorias pesquisadas por ele, e algumas vezes ele dedica capítulos para as explicações, logicamente não entendi nada, pois ele não tentou ajudar nem um pouquinho na linguagem científica empregada nas explicações, isso torna chato? Mais ou menos, talvez seja melhor você fazer a leitura como eu fiz, tentar compreender algo e caso contrário, siga a leitura até que ele volte para algo mais simples.

Este livro possui 144 páginas, está bem acessível e é uma leitura rápida, ou seja, você pode terminá-lo em um dia ou dois. Super recomendado para quem quiser conhecer esse gênio ou tem interesse em física teórica.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

#maratonaliterária 3.0 - Dia 3 @maratonalit

Terceiro dia consegui 118 páginas, acabando o primeiro livro da maratona e iniciando 52 páginas do segundo que foi Praticamente Inofensiva.

Estatísticas...


Vejo vocês amanhã..

quarta-feira, 23 de julho de 2014

#maratonaliterária 3.0 - Dia 2 @maratonalit

No segundo dia consegui fazer a leitura de mais 160 páginas de P.S. Eu Te Amo, como já falei a leitura está bastante agradável.

Vamos às estatísticas?


O segundo desafio foi feito pelo Bookeando, que pedia para criar uma nova capa para o livro, meus dons artísticos não estavam ativos, então escapei desse desafio.

Para deixar claro, estou postando sempre os resultados no dia seguinte.

terça-feira, 22 de julho de 2014

#maratonaliterária 3.0 - Dia 1 @maratonalit

No primeiro dia consegui ler 142 páginas de P.S. Eu te amo, não posso deixar de falar que a estória está bastante interessante e fiquei animado durante a leitura, mas como sempre a preguiça ficou se mostrando durante o dia, tentarei dar um gás nas leituras durante o segundo dia.

Resultado do primeiro dia:



O primeiro desafio foi do Psychobooks, e foi pedido que criássemos uma estória com dois personagens de universos diferentes, como é que seria a relação entre eles ou o que aconteceria, escolhi Poirot e Sherlock Holmes, confere aí:

Poirot e Sherlock Holmes não dariam bem juntos, ou eles acabariam o mistério em menos de 10 páginas, ou passariam 1000 páginas discutindo o quanto cada um é mais esperto que o outro e tal. Sem contar que o Capitão Hastings e o Watson ficariam cansados de ter que relatar cada detalhe dessas aventuras..

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Maratona Literária 3.0

Como não poderia deixar de ser, a maratona chega anunciando os fins das minhas férias, não é a primeira vez que participo, então já tenho um histórico aqui no blog sobre como é o evento, e para quem não sabe, a maratona é um evento literário que ocorre nas férias, onde os leitores podem estipular uma meta de leitura, como por exemplo, x páginas por dia, tantos livros numa semana, quem faz a meta é o próprio participante.

Neste ano a maratona ocorrerá entre 21-27/07/2014, e quem quiser se inscrever é só ir AQUI até às 0:00 horas do dia 21.


Vamos ver minha meta?

  • Praticamente Inofensiva - Douglas Adams (192 páginas)
  • P.S. Eu te Amo - Cecelia Ahern (368 páginas)
  • Assassinato na Casa do Pastor - Agatha Christie (288 páginas)
  • O Engenhoso Fidalgo D. Quixote da Mancha. - Volume I  - Miguel de Cervantes (386 páginas)**
** Dom Quixote será uma leitura que estarei continuando, encaixarei ele na meta, mas lerei algumas páginas entre um livro e outro, não tenho condições de ler este livro nem em 15 dias, imagine em menos de 7. Já li 150 páginas, ou seja, acrescentarei apenas 236 páginas na minha meta.

Resultando então em: 1084 páginas.

Como sempre, marquei os livros lá no Skoob como meta, quem quiser me acompanhar por lá é só adicionar.
Tentarei participar dos desafios, e também com o tempo irei escrevendo as resenhas dos livros que li. :)

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Doctor Who: Shada - Douglas Adams, Gareth Roberts

Pelo título do post você pode ficar se perguntando, Douglas Adams e Gareth Roberts escreveram um livro juntos? Vamos dizer que sim, vamos dizer que não.. deixe-me explicar melhor.


Shada é um arco escrito por Douglas Adams para a série clássica de Doctor Who, lá na época em que o Tom Baker era o quarto Doctor. Mas na mesma época greves ocorreram, e nunca chegaram a finalizar as gravações do arco completo, do mesmo jeito Adams nunca terminou de escrever a estória toda. Aí entra Gareth Roberts, por meio da ajuda de várias pessoas, ele conseguiu informações e cópias de roteiros escritos e modificados pelo próprio Douglas, assim ele poderia escrever a estória de uma forma mais própria para um livro sem alterar em nada do original. A estória não teve um fim para a televisão, mas no livro ela teve, e poxa! Que fim.

No final do livro podemos ver um posfácio escrito por Roberts, lá ele nos explica como foi o trabalho para reconstruir essa estória sem tirar o toque "Douglas Adams de ficção científica", quais foram suas fontes, o que o ajudou e tudo mais, é sério, o cara simplesmente pesquisou horrores para conseguir transformar um roteiro em um livro de 352 páginas.

Mas e aí? Parece ser um livro escrito por qualquer autor? Ou escrito pelo Douglas Adams? Chega a parecer uma estória original de Doctor Who? SIM!!! É maravilhoso! Se você já chegou a assistir nem que seja um arco, ou um episódio com o Tom Baker saberá que ele é um gênio como o Doctor, e o livro transmite isso, fica difícil você não imaginar cada mínimo detalhe de como seria na televisão, o início do livro parece ser realmente escrito pelo próprio Douglas Adams e o decorrer dele é escrito por um ótimo autor, é praticamente impecável.

Já existem reconstruções do arco com as imagens gravadas na época, assisti alguns pedaços, mas ainda não tive coragem de assistir ele todo. Tenho medo de ter que comparar qual é o melhor, pois a série pode sair perdendo, o baixo orçamento deixa os efeitos especiais serem muito capengas, enquanto a imaginação não tem limites e nem corte de custo.

Shada não é o primeiro livro de Doctor Who no Brasil, o Universo Who já mostrou isso, mas é lógico que após o boom do aniversário de 50 anos da série, Shada será o primeiro de muitos livros no Brasil.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Homem-Máquina - Max Barry


Essas promoções de livros por menos de 10 reais nos trazem belas surpresas, viu? Mesmo no finalzinho de um período, consegui devorar o livro sem perceber, mas isso se deve a ótima escrita de Max Barry.

Charles Neumann é super dependente do seu smartphone, ele começa a fazer certas loucuras para achá-lo, era como se sua vida dependesse daquele aparelhinho para acontecer, -isso foi meio tocante para mim, pois na mesma época meu celular tinha dado um 'tilt', então meio que me serviu de alerta para não surtar-, depois de achar o celular e ficar meio distraído, Charles sofre um acidente que faz perder uma perna, entre revoltas e sua super-inteligência ele constrói uma espécie de perna que é "melhor" que a sua antiga.

É quase que inacreditável ver o desenvolvimento crescer aceleradamente para a construção de uma prótese perfeita, a partir daí tudo é possível, e você vê como parece ser real certas pesquisas, mas aí fechamos o livro e lembramos que é apenas ficção.

Max Barry cria um ótimo ambiente, mostrando facetas interessantes do personagem, mas infelizmente a coisa começa a ficar pesada, parece que uma dose de loucura e de super-proteção por parte da empresa fazem que surja o Homem-Máquina. É meio complicado falar sobre este livro sem soltar algum spoiler, por isso falarei apenas uma coisa, o livro seria um ótimo blockbuster, tem tudo que é preciso para ser exibido em 3D: perseguição, revolta, romance e tudo o que você puder imaginar, mas o final é simplesmente uma surpresa desagradável, como falei, teve uma pitada de loucura, mas não só do personagem, e sim no desenvolvimento da estória, acho que o livro merecia algo mais. Visto que foi escrito e postado no blog do autor, aonde o Barry lia as dicas de seus leitores e saia reescrevendo os capítulos baseando-se na opinião deles, acho que o fim foi algo meio que precipitado, parece que ele queria dar um basta na estória e só aquilo poderia ser o fim. Será que ele leu mesmo a opinião de todos?

Mas mesmo pelo fim horrível, a leitura de Homem-Máquina pode nos preparar para um cenário do que pode ser o futuro do mundo, a estória até certo ponto é ótima e irá prender sua atenção. De certeza, foi a melhor ficção que eu li até o momento, algumas vezes eu fico pensando quando vai ter uma continuação, pois realmente a estória é digna de uma continuação.

Nota 10!

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Bling Ring - Nancy Jo Sales


O livro só veio aparecer no Brasil próximo ao lançamento do filme, e olha não tem nada de igual entre eles.


Tudo dá origem, ou tem origem de algo dentro do universo Bling Ring, a jornalista escreveu um artigo e meio que cunhou o termo, Sofia Coppola queria fazer um filme sobre o acontecido, a jornalista teve a ideia de escrever um livro e pronto.

Mas se liguem, os três (artigo, livro e filme) falam do mesmo assunto mas o retrata de formas e perspectivas um pouco diferentes.

O livro tem um quê de documentário, várias fotos dos supostos jovens "assaltantes", depoimentos de alguns dos integrantes da "gangue", e informações de sites, jornalistas, advogados e das vítimas. Mas só é isso, no filme enquanto estamos imersos no universo desses adolescentes, no livro estamos vendo a perspectiva da jornalista, e só, lógico que a opinião dela está embasada em uma grande fonte de referências que ela cita no decorrer da história.

Se vale a pena ler? Bem, é interessante, mas não é aquele relato da aventura dos jovens adolescentes ricos que é mostrado no filme, o máximo, como já falei, que você terá é um relato de um ou outro integrante que está contando meias verdades, mas a visão externa e analítica da jornalista, é uma leitura para quem quer conhecer um pouco do fenômeno Bling Ring.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Tudo na estante/prateleira


Para quem já viu no instagram ou em outros lugares, nunca tive uma estante de verdade, com prateleiras e etc, recentemente nos mudamos temporariamente para reforma, e uma amiga da minha mãe deu essa estante que tratei de usar para colocar meus livros e dvds (infelizmente não havia espaço para os CDs), eu paro, olho e penso como conseguia colocar tudo isso no meu quarto ocupando tão pouco espaço?

Ainda tá faltando trazer os gibis, mas de qualquer forma está tudo arrumadinho, sem espaço para nada mais.

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Jimmy Corrigan, O Menino Mais Esperto Do Mundo - Chris Ware

Capa e contra-capa
Não sei o que me levou a adquirir Jimmy Corrigan, só sei que fiquei com muita vontade de ler, aproveitei uma oportunidade e comprei.

Comecei a lê-lo no início das férias, ou seja, não tinha motivo pra pressa, mas infelizmente eu estava me forçando a acabar o livro para ver se conseguia encontrar algo legal nele. O livro é bem dinâmico, tem piadinhas e informações em toda parte, desde a parte interna da capa, até a contra-capa, é meio que uma leitura dinâmica, você encontra texto puro, só imagens, desenhos para serem cortados e montados, e cartõezinhos com informações.

Mas chega de tentar explicar o livro!

Os tais cartõezinhos, com a letra muito pequena.
Jimmy Corrigan é um homem "comum" que não conhece seu pai, aparentemente tem alguns problemas sociais, e magicamente recebe um convite do pai para conhecê-lo, sim, sem necessidades de explicação nem nada. Com o detalhe que ele praticamente foge da mãe que vive numa espécie de casa de "repouso".

No desenvolvimento da estória temos várias, como posso dizer... várias linhas de acontecimentos, tem a imaginação dele que é enorme, também vemos cenas da infância de seu avô e pai, mas nada disso flui naturalmente, uma hora estamos na sua imaginação, depois na vida real, depois pulamos para a infância de Jimmy, voltamos pro presente e depois para o passado de seus ancestrais. E repito, isso é jogado na nossa cara como se as coisas fossem auto-explicativas, me peguei várias vezes perdido no mundo de alguém que eu não fazia ideia quem fosse.

Jimmy com o Pai e a imaginação rolando loucamente.

Futuro, presente, passado? Só se você realmente prestar atenção.
Não consigo recomendar o livro, pois ele não apresenta nada de especial, apenas um cara com problemas de relacionamento e muito medroso, com uma imaginação fértil, um pai desconhecido e uma vida muito, mas muito chata. Acho que chega a ser impossível terminar a HQ sem se sentir pelo menos 1% deprimido.

A HQ realmente é fora do comum, mas se você tiver interesse, leia por sua conta e risco.

sexta-feira, 28 de março de 2014

Maigret - Georges Simenon


Criado depois de Sherlock Holmes, e com várias características diferentes, Maigret é o detetive criado por Simenon. Não posso deixar de dizer que amo estórias de detetives, e lógico que Maigret teria que ser uma leitura feita por mim em algum dia.


A primeira diferença entre Maigret e Sherlock ou até mesmo Poirot, é que Maigret é um comissário, ou seja, trabalha na polícia, o que torna seu emprego realmente ligado com crimes, não apenas um hobbie ou qualquer coisa que leve a investigações, e a maior diferença é que a maioria dos casos ocorrerem na França.

Neste livro Maigret está aposentado, mas recebe o pedido de ajuda de um familiar que está prestes a ser preso por ter feito besteira na cena do crime, e tudo indica que este familiar é o culpado. Mas como Maigret fará que a verdade venha à tona?

Aí a estória começa a ficar interessante, suspeite de quem você quiser, mas não demorará muito para descobrirmos quem é o real culpado, o problema é provar que ele realmente é.

Maigret é uma simples pessoa, que não precisa ter uma mente superdesenvolvida para criar planos, o que se passa na estória é palpável a nossa imaginação e não precisa de páginas dedicadas à explicação. Mas não quer dizer que a não existência de loucas deduções deixe o livro chato, a forma que Maigret utiliza para o culpado se entregar é assustadoramente inimaginável.

Não sei como é os outros livros do personagem, mas se forem iguais a este, estarei muito animado para lê-los. :)

sexta-feira, 21 de março de 2014

O Mundo de Downton Abbey - Jessica Felowes

Se você é fã de Downton Abbey, precisa urgentemente ler este livro.


Explicando um pouquinho sobre o livro.. ele é um guia da série e o universo retratado nela, mas não necessariamente teremos várias páginas dedicadas ao que se passa na série, e sim o que acontece por trás das câmeras e como era realmente no passado.

Existem páginas e mais páginas com informações, fotos, textos e tudo o que você não imagina sobre aquela geração, e sim, são fatos reais, todos apresentados ao leitor e explicando como isso influenciou a série.

Como já falei, o livro foi muito bem pesquisado, e há uma vasta bibliografia para quem quiser consultar o material utilizado na produção do livro, é uma ótima oportunidade para quem quiser expandir os conhecimentos sobre os costumes da Inglaterra naquela época. As informações abrangem todos os acontecimentos que ocorrem nas duas primeiras temporadas da série, lá na Inglaterra já foi lançado outro guia para as temporada atuais.

O livro já não bastava ser bonito graficamente, ele é de capa dura, fotos impressas em ótima qualidade e material bem escolhido para ilustração de cenas de época.

Opiniões de atores, informações bem pesquisadas, páginas com informação de qualidade, e sinceramente? Não sei por que você ainda não comprou.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

As melhores histórias de Sherlock Holmes - Sir Arthur Conan Doyle


Recentemente acabei de ler essa coletânea de estórias de Sherlock Holmes feita pela L&PM, infelizmente pensei que este livro traria estórias não publicadas em outros livros da editora, mas na verdade é realmente uma coletânea de publicações presentes em outros livros.

O que acho chato, porque a editora não avisa no livro, o que me faz ter vários livros na coleção com contos repetidos.

De qualquer forma, é uma boa opção para quem quer conhecer o detetive, ele traz as seguintes cinco estórias:
  1. A Faixa Malhada
  2. Um Escândalo na Boêmia
  3. A Liga dos Cabeça-Vermelha
  4. O Problema Final
  5. A Casa Vazia
O interessante deste livro, é que ele reúne o "último conto" de Sherlock Holmes e a volta do personagem, talvez não seja uma boa pedida pra quem quer começar a conhecer o personagem, mas Um Escândalo na Boêmia é um ótimo conto e introduz A mulher, Irene Adler.

Pela seleção de estórias, dou uma nota 8 para o livro.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Morte nas Nuvens - Agatha Christie

Mais uma estória da Agatha Christie que simplesmente faz com que você queira descobrir o mistério, mas no fim sempre vai errar os palpites que der.

A estória acontece num vôo da França para a Inglaterra, e para ser uma verdadeira estória da Agatha, há um assassinato, em pleno vôo, e o pior de tudo é que ninguém viu quem matou a vítima, mas sabe-se que foi utilizado uma zarabatana e um dardo envenenado.


Para aumentar ainda mais a impossibilidade, o detetive belga Poirot estava no mesmo vôo, mas dormiu durante todo o trajeto.

Iremos descobrir sobre o passado de muitos, e as suspeitas começam a aparecer ou a aumentar nas viagens de ida à França ou Inglaterra. Até certo ponto, alguns não seriam apontados como assassinos, mas de uma hora pra outra, segredos começam a pipocar, e lógico, a lista de nomes cortados começa a diminuir.

No fim das contas muitos mistérios surgem e o que parece ser, não é. A Agatha tem disso, de criar coisas que não aparecem no livro e algo bem improvável surge do nada.

Recomendo o livro com toda certeza, a rainha do crime sabe bem como enganar alguém, além disso, é bom exercitar a massa cinzenta, como diria o senhor Poirot.

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

#maratonaliterária 2.0 - FIM @maratonalit

Infelizmente não pude reportar os dois últimos dias de maratona literária, os dias foram corridos e eu tive um surto de preguiça no último dia.

Então meu status ficou em: 592/1426
Faltando: 834 páginas

No sábado consegui ler 39 páginas, e no domingo não li nada, tudo bem que não consegui ler muito da minha meta, mas foi uma ótima maratona, na próxima vez irei me dedicar mais.

E aguardem, em breve as resenhas estarão aqui no blog, dos livros lidos na maratona e de vários outros que estou escrevendo ainda.

Uma lição ficou para a próxima maratona, criar metas menores.

sábado, 18 de janeiro de 2014

A Vida, o Universo e Tudo Mais - Douglas Adams

Já faz alguns meses que li o livro, e não posso deixar de falar que não tô lembrado de muita coisa, pois sinceramente, do segundo livro para o terceiro quase nada aconteceu de diferente apenas algumas "poucas" coisas.

O mundo em que Arthur é "abandonado" se torna praticamente um horror a cada dia que ele acorda, no fim das contas ele tem que aprender a se virar, e, bem, como um homem das cavernas ele tem que caçar. Mas cuidado Arthur! Talvez os animais queiram se vingar depois.. :p

Deixamos esse cenário de terra primitiva e voltamos para as viagens espaciais, a turma irá se reunir novamente, e nenhuma característica e sarcasmo será esquecido. O terceiro livro da trilogia de cinco livro com um sexto livro lançado, começa a evoluir no meu conceito, afinal de contas, saímos da monotonia do primeiro livro, para uma reanimação na estória do segundo e no terceiro as coisas começam a ficar mais interessantes.

Guerrinhas, brigas e humor inglês, isso tem de sobra no livro. Ahhh.. Também tem viagem no tempo.

Como falei, não me lembro de muita coisa, talvez o 4º livro seja melhor, e em breve farei a leitura dele, mas pela evolução que ocorreu na estória, dei 5 estrelas ao livro.

#maratonaliterária 2.0 - Dia 5 @maratonalit

O dia 5 foi um pouco mais produtivo do que os dias anteriores, consegui ler 113 páginas, bem abaixo da média diária, mas bem melhor que os dias anteriores, tenho certeza que não conseguirei (novamente) cumprir minha meta, mas farei o meu possível. 

Na próxima maratona tentarei não fazer um meta tão grande.


• 90 páginas de A Vida, O Universo e Tudo Mais (lido)
• 23 páginas de Blig Ring (lendo)



Status: 553/1426
Faltando: 873

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

#maratonaliterária 2.0 - Dia 4 @maratonalit

No dia 4 consegui ler muito pouco, pois tive que trabalhar o dia inteiro, e foi uma correria danada, mesmo com pouco movimento não conseguia ficar parado e quando parava me pegava perdendo tempo no facebook.

No total foram 20 páginas, e gostaria de fazer um adendo, acabei de descobrir que minha edição de "A Vida, O Universo e Tudo Mais" é de 160 páginas, e não de 221 páginas como estava no meu skoob. Sendo assim, a meta mudou, a partir de hoje já mudo a contagem de folhas.

• 20 páginas de A Vida, O Universo e Tudo Mais (lendo).

Status: 440/1426
Faltando: 986

Ainda estão faltando 3 livros, e acho que se eu me dedicar consigo terminar o atual e começar o próximo.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

#maratonaliterária 2.0 - Dia 3 @maratonalit

Hoje tive um mix de ressaca literária, indisposição, resumindo, tive preguiça de ler, e isso é péssimo quando se está numa maratona com uma grande meta.

No fim das contas não tenho muito a declarar, meu vergonhoso avanço do dia foi de:
• 35 páginas de A Vida, O Universo e Tudo Mais (lendo).

Estou bastante atrasado e como já imagino, quinta-feira não vai ser um dia tão livre, mas farei o meu melhor, e tentarei tirar o atraso de alguma forma na sexta.


Status: 420/1487
Faltando: 1067

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

#maratonaliterária 2.0 - Dia 2 @maratonalit

O segundo dia foi meio pesado, já tinha algumas coisas agendadas e precisei ir em Caruaru, aproveitei as viagens de ônibus e as esperas para ir dando uma continuidade na leitura, infelizmente não fiz tanto quanto eu quis.

Falando em viagem, ontem quase peguei o ônibus errado porque só trocaram o letreiro dele depois que eu entrei, tive que esperar 40 minutos para conseguir outro ônibus para Caruaru.

E vamos ver os resultados?
  • 130 páginas de O Jovem Sherlock Holmes - Nuvem da Morte (lido).
  • 15 páginas de A Vida, O Universo e Tudo Mais (lendo)
Como falei, ontem viajei e o que eu ia fazer pela manhã demorou (e doeu) mais do que esperava, depois de almoçar eu só pensava em deitar, mais tarde peguei um ônibus e fui ao dentista, a espera foi muito pouca, a viagem de volta quase me impossibilitou de ler, um senhor super legal ficou conversando comigo, depois li algumas páginas e peguei no sono. Só consegui ler de verdade quando cheguei em casa.

Status: 385/1487
Faltando: 1102

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

#maratonaliterária 2.0 - Dia 1 @maratonalit

Resolvi iniciar a Maratona Literária no horário de verão, o que me permitiu ter uma hora de leitura antes que eu começasse a despencar de sono.

Os dados do primeiro dia foram:
  • 82 páginas de Pavor Espaciar (lido);
  • 158 páginas de O Jovem Sherlock Holmes - Nuvem da Morte (lendo).
O que me faz terminar o dia com um saldo de 240 páginas lidas, passei algumas páginas da média diária, talvez seja até bom, pois esses dias poderão ser meio corridos.

Amanhã irei viajar, estou pensando em levar o próximo livro que é o "A Vida, O Universo e Tudo Mais", já que passarei o dia todo fora de casa e poderei chegar meio tarde, estar com a próxima leitura poderá me ajudar a continuar a minha meta caso eu termine o livro atual.

Hoje meio que pensei em não participar de nenhum desafio diário, talvez eu vá espiando no que vá saindo, mas infelizmente não estou tendo tempo para dedicar a leitura e outras coisas, imagine elaborar alguns desafios mais complicadinhos. :s

Status: 240/1487
Faltando: 1247

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Maratona Literária 2.0

Olá pessoal, novamente estarei participando da Maratona Literária, agora em sua segunda edição, para quem não me acompanhou na passada e não conhece, a Maratona nada mais é do que você definir uma meta de leitura que deve acontecer durante uma semana, dessa vez acontecerá entre 13/01 - 19/01, a meta pode ser páginas por dia, ou uma quantidade de livros. Ela é organizada pelo Café com Blá Blá Blá e vários outros blogs.



A minha não será por páginas, e sim uma quantidade de livros, que na verdade foram esses 6:


Chico Bento - Pavor Espaciar - Gustavo Duarte (82 páginas)
O Jovem Sherlock Holmes - Nuvem da Morte - Andrew Lane (288 páginas)
Delírio - Lauren Oliver (352 páginas)
Esaú e Jacó -  Machado de Assis (272 páginas)
A Vida, O Universo e Tudo Mais - Douglas Adams (221 páginas)
Bling Ring - Nancy Jo Sales (272 páginas)

Serão 1487 páginas!!

Levando em conta a maratona passada, não chegarei nem perto. kkkk... Se eu quisesse completar essa meta, teria que ler cerca de 213 páginas, seria quase que um livro por dia.

Não sei qual ordem seguirei, mas tentarei ler todos, para quem quiser acompanhar, estarei postando diariamente o que fiz e os desafios diários que os blogs parceiros lançaram, os posts acontecerão a noite, então não percam a maratona e vamos nos divertir.

Quem quiser me acompanhar no skoob, é só me adicionar. :)
Conheça e faça a inscrição da Maratona!

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Astronauta - Magnetar

A Maurício de Souza Produções junto com a Panini está lançando alguns Graphic Novels com uma releitura dos personagens da turma da Mônica, o primeiro Graphic MSP lançado foi "Astronauta - Magnetar", que traz uma estória com o personagem Astronauta.

Desenhos feitos por Danilo Beyruth, um traço totalmente diferente do que vemos do personagem original, mas não é pra menos, o personagem está crescido, e uma aventura diferente ocorre.

Rendeu umas boas páginas, um bom suspense quanto a uma coisa (importante) que ocorre durante a estória, mas infelizmente acaba, e lhe digo, acho que uma continuação seria bastante interessante, principalmente porque temos uma visão mais diferente do Astronauta, uma continuidade mostrando sua vida adulta e pós-Magnetar renderia bons panos para a manga. (vai ter continuação sim!)

Enfim, é uma obra de arte, os traços do Danilo fazem você realmente querer que a estória continue e tenha mais e mais páginas. Agora é só esperar a continuação.