sexta-feira, 21 de junho de 2013

[Cinema] Velozos e Furiosos 6

Admito que estou sendo bem eclético, na verdade estão me levando a ser eclético, Homem de Ferro e Velozes e Furiosos não são filmes que eu iria no cinema sozinho e assistiria por minha escolha.

Deixando o preconceito de lado, como já falei no post do Homem de Ferro 3, Velozes e Furiosos é uma das franquias que eu simplesmente não assisti nenhum filme, o mesmo medo de ficar perdido aconteceu, mas um amigo me ajudou contando o que tinha acontecido em filmes anteriores para eu poder me situar.

Ok. Para quem achava que um filme de: carro, carro, mulheres, carro, rachas de carro, alta velocidade, mulheres, carro, e logicamente carros, não seria um filme bom, eu me enganei, isso vai até ser importante, pois eu tenho uma lata com os três primeiros filmes que já está enferrujando (literalmente).

Fonte: 7 marte

Nesse filme a trupe, ok, não me forcem a usar o termo certo, eu não sei o que eles são, uma gangue? uma máfia? um grupo de amigos corredores que cometem crimes e aparentemente se juntou ao governo?, se reúne para encontrar uma amiga que voltou do túmulo, graças a Deus teve uma explicação do que tinha acontecido e o que aconteceu para ela não estar morta, por que eu fiquei voando realmente.

Só sei que gostei da ação, o enredo do filme é interessante, como citado, eles realmente são uma família, e isso tornou o filme um pouco mais interessante.

Uma dica, espere um pouco pelos créditos, haverá uma curta sequência que será um prequel para o próximo filme.

Nota: 7. Ele tem que passar por média, né?
E uma segunda dica, assim como eu você não conhece a sextologia (sim, eu googlei)? O Resenha em 6 fez um especial com pequenas resenha divertidas sobre os 6 filmes da franquia, vale a pena ler.


quinta-feira, 20 de junho de 2013

[Cinema] Homem de Ferro 3

Sempre tive um preconceito com o Homem de Ferro, na verdade só via críticas de que o personagem interpretado pelo Downey Jr. era um playboy que vivia se glorificando de suas invenções e era um super-herói e blábláblá.

Pois bem, depois de alguns meses de correria resolvi ir no cinema com os amigos para curtir uma tarde off de estudos, decidimos ver algo que entrasse no nosso orçamento e horário, e entre Homem de Ferro 3 e Velozes e Furiosos 6, resolvemos assistir um filme que eu estaria apenas atrasado dois filmes, e não 5 (Sim, eu não acompanho muito sucessos).

Fonte: Vortex Cultural
Ok, fim da sessão, e aí?

Aí que eu simplesmente AMEI o filme. Não é um dos melhores que já vi, mas o Tony Stark é tudo o que falaram, mas não é um completo (total) idiota. Fiquei com medo de me perder na estória por não conhecer o personagem ou não ter visto os dois filmes anteriores, mas não, não me perdi e o filme foi fluido, sem muitas dúvidas, certo que possivelmente algumas coisas poderiam ter sido mais percebidas com a ajuda dos outros filmes.

Certos momentos foram de perder o folego realmente, e o fim foi meio "ahn?", não entendi, mas acho que algo bom vai vir, ou não. Não tem como não se envolver no filme.

Nota: 8. É bom, mas não é tão TÃO... "quero assistir os outros dois".

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Próxima leitura #12


Segundo volume da saga O Guia do Mochileiro das Galaxias, uma curiosidade até para mim, é que depois de dois anos e meio, estou continuando a saga, e não foi por falta de livro, eu tenho a coleção completa, mas é que o primeiro livro foi bem decepcionante, depois disso nunca mais dei uma chance, e a cada Dia da Toalha que passava eu me sentia culpado por não dar uma chance aos outros quatro livros.

Pois bem, em breve minha opinião sobre o segundo volume. E vai ser até interessante, pois chega de pocket books por algum tempo, tem praticamente dois anos que estou lendo apenas títulos da L&PM, o que não chega a ser muita coisa, visto que nesse tempo todo eu não tive tempo para ler muita coisa, santa odontologia. :s

[Cinema] Além da Escuridão - Star Trek

Star Trek: Into Darkness foi a coisa mais esperada desse ano por mim, não fui muito fã do primeiro filme, e quis acreditar que o segundo filme iria ser melhor.



E realmente foi, a experiência que passei do primeiro ao último filme me fez conhecer mais de Jornada, me fez saber que o reboot não foi tão legal. As coisas mudaram, semana passada eu assisti ao último episódio da série clássica, e foi interessante em termos de comparação.

Fonte: Pipoca dos Outros

Além da Escuridão em muitos aspectos considero sendo como a melhor forma de Jornada crescer novamente, os efeitos e 3D vão encantar os mais jovens, a tonelada de referências à série clássica são muito boas, são referências certas, engraçadas, pontuais (não foi necessário forçar algo para elas acontecerem).

Falando em referências, foram muito além (da escuridão?) de frases, consegui enxergar mais trejeitos no novo Kirk que são fiéis aos do Shatner. O trio McCoy, Spock e Kirk estão muito bem representados, eu acho que se houvesse uma forma de iniciarem uma nova série de Jornada, a tripulação desta Enterprise seria perfeita.

Só tenho uma coisa extra para comentar, a Inglaterra está invadindo os cinemas, Benedict Cumberbatch (Sherlock) e Noel Clarke (Doctor Who) arrasaram em suas atuações.

Umas pequenas vaias para o Cinemagic Caruaru que teve uma falha na projeção, os nomes que apareciam nos cantos superiores estavam sendo cortados.

Não lembro se no primeiro filme tinha, mas a música de encerramento igual a série clássica neste filme foi muito legal para atenuar que realmente estavam fazendo Jornada.

Nota: 10. Já quero continuação!!

terça-feira, 18 de junho de 2013

O Detetive Parker Pyne - Agatha Christie

Não há Poirot e suas investigações neste livro. Pelo menos dos 14 contos deste livro, 8 não são de crimes e mortes, são de "crimes do coração".
Parker Pyne era um funcionário público que passou 35 anos compilando estatísticas, na sua aposentadoria ele resolveu utilizar seu conhecimento sobre as pessoas para resolver crimes e problemas. Nos jornais da época você encontrava este anúncio:




Segundo o senhor Parker Pyne, a infelicidade pode ser classificada em apenas 5 categorias principais, assim como o médico, depois de diagnosticado a causa do problema, vem a cura. Nem sempre é possível curar a doença, mas no livro vemos que é praticamente possível resolver tudo, e com muita facilidade pelo visto. Santa Agatha Christie!

E como a rainha do crime não poderia deixar de ser ela mesma, não consegui desvendar nenhum mistério antes de acabar cada estória, na maioria delas acontece uma reviravolta muito grande, algo totalmente inesperado e simplesmente toda a teoria que você está formando vai por água abaixo.

O livro é publicado pela L&PM na versão pocket, tem 272 páginas e pode ser encontrado a partir de R$19,00.